segunda-feira, 5 de abril de 2010

Robert Barro Comenta a Grande Depressão e a Crise Financeira Recente

Ele indica também cinco livros para entender estas crises. Vale ainda a pena mencionar duas passagens de sua entrevista:

So what else should I be reading on the Great Depression?

There’s Ben Bernanke’s research in the 1980s – that’s probably his most important contribution in terms of macroeconomics and financial economics.

Yes, I saw the Dow Jones Newswires quote on Bernanke’s book, Essays on the Great Depression, which made me laugh: “With some observers saying that the ongoing financial crisis could be the worst since the Great Depression, the greatest living expert on that period is getting the chance to apply its economic lessons.”

Well Bernanke was thinking that way in April 2008. I remember talking to him at the time, just after the Bear Stearns initial intervention. I got a chance to ask him a question about why they were so aggressive at that time when things didn’t look so bad. And his response was that basically he was worrying about a Depression-type scenario – and trying to act early to nip that in the bud.

So are you not a fan of what Obama is doing?

I think the stimulus package was very stupid; it was awful. It’s just a tremendous waste of money and it’s going to cause some trouble in terms of a bigger public debt; it’s just wasting resources. But the more important thing is the financial system, and the housing related aspects. So on that, despite a lot of floundering around, mostly I think what they were doing is in the right direction. I think they made a big mistake by not bailing out Lehman Brothers – I think they recognized that two days later. That was Paulson’s individual fault and responsibility from what I can gather.

4 comentários:

Blog do Adolfo disse...

Interessante o comentário do Barro... ele acha que o pacote de Obama é desperdício de recursos, mas acha que o Bernanke age de maneira correta.

Barro diz que quando Bernanke erra o erro não é de Bernanke, mas de alguém mais.... fim da picada esse clube.

Repito: o Bernanke academico teria reprovado o Bernanke policy maker por causa do bailout nos bancos. Eu nao conheco um unico modelo que sugira que bancos que quebram devem ser salvos.

Essa lenda de ter que salvar bancos vai de encontro a toda literatura de consistencia temporal.

Adolfo

Ronald Hillbrecht disse...

Adolfo,

Concordo com sua observação de que a política do "too big to fail" é a receita certa para um desastre financeiro. Certamente Bernanke (bem, pelo menos o acadêmico)também concorda com isto. Indo um pouco mais além, tem um artigo do historiador monetário Michael Bordo (se não me engano com Anna Schwartz)que mostra que em vários episódios de crise financeira a melhor política para evitá-las e a melhor para lidar com elas é a famosa doutrina clássica, que remonta a Walter Bagehot, em seu livro Lombard Street. A doutrina clássica consiste em tornar crível a política de, em momentos de crise, o BC ser o emprestador de última instância de bancos temporariamente ilíquidos e liquidar os insolventes, independentemente de seu tamanho e/ou conexões. Embora Bernanke conheça a doutrina clássica e resolveu liquidar o Lehman Brothers por insolvência, me parece que a interpretação do Barro de que isto foi equivocado deve-se ao fato de que ex-ante a liquidação não era crível e esta política espalhou pânico no sistema financeiro, agravando e aprofundando a crise. A doutrina clássica, tal qual preconizada por Walter Bagehot, simplesmente não existia. Como lidar apropriadamente com esta situação? É difícil dizer, mas a lição que se tirou deste episódio é que não parece ser apropriado tentar construir credibilidade durante uma crise (é melhor obter credibilidade bem antes).

Abraço,

Ronald Hillbrecht

Evandro disse...

Ronald, mas já não havia essa credibilidade bem antes? Ilusória, porém, o mercado acreditava nos agentes reguladores, por isso do pânico ao liquidar o Lehman. Na minha opinião, o foco não é criar essa credibilidade, mas fazer jus a ela. o que demanda competência e não o jogo de palavras, em certo ponto, apenas ideológicas.

Aproveito para elogiar o blog, sou estudante e aprendo muito com o conteúdo. Parabéns.

Blog do Adolfo disse...

Desnecessario dizer que o "esquecido" caso do LTCM ilustra bem a falta de credibilidade do FED.... bem antes da crise financeira, o FED ja tinha deixado claro que iria socorrer quem quebrasse.

Abraco,


Adolfo