quinta-feira, 24 de abril de 2008

O Dilema do Prisioneiro

O maestro de uma orquestra, na União Soviética de Stalin, estava viajando trem e revia uma partitura, que iria reger à noite. Dois agentes da KGB viram a cena e, acreditando que a partitura era na verdade um código secreto, prenderam-no como espião. O maestro disse que era apenas o concerto de violino de Tchaikovsky, mas de nada adiantou. Depois de dois dias preso, um interrogador entrou na cela e disse: "É melhor você confessar. Pegamos seu amigo Tchaikovsky e ele está nos contando tudo". O maestro sabia que se o tal do Tchaikovsky confessasse e ele não, ele pegaria 25 anos no Gulag. Se ele também confessasse, pegaria apenas 10 anos. Ele decidiu então confessar.

Condenado a passar 10 anos no Gulag, ao chegar lá, um dos residentes lhe perguntou: "Qual o tamanho de sua sentença?" O maestro respondeu: "Dez anos." "E o que você fez?" "Nada", respondeu o maestro. "Deve haver algum engano. A sentença para isso é três anos."

Fonte: Dixit e Nalebuff "Thinking Strategically"

Um comentário:

Diego Baldusco disse...

Diria David Hume:
"Teu milho está maduro hoje, o meu estará amanhã. É vantajoso para nós dois que eu te ajude a colhê-lo hoje e que tu me ajudes amanhã. Não tenho amizade por ti e sei que também não tens por mim, Portanto não farei nenhum esforço em teu favor; e sei que se eu te ajudar, esperando alguma retribuição, certamente me decepcionarei, pois não poderei contar com tua gratidão. Então, deixo de ajudar-te; e tu me pagas na mesma moeda. As estações mudam; e nóis dois perdemos nossas colheitas por falta de confiança mútua"
Mais um caso de dilema do prisioneiro. Eles não se ajudam, mas se se ajudassem aumentariam seus ganhos.